Fórum EMB de Discussões
[  EMB's Main Menu  |  Forum Index  |  Cadastro  |  Search  ]
   
ENGLISH
PORTUGUESE
 LINGUISTICS & CULTURE


Autor:  Naluh
E-mail:  não-disponível
Data:  07/OUT/2003 3:03 PM
Assunto:  Cantigas de ninar brasileiras
 
Mensagem:  Eu, uma brasileira morando nos Estados Unidos, para ajudar no orçamento, estou fazendo "bico" de babá. Ao cuidar de uma das meninas de quem eu "teoricamente" tomo conta, uma vez cantei "Boi da cara preta" para ela, antes dela dormir. Ela adorou e essa passou a ser a música que ela sempre pede para eu cantar ao colocá-la para dormir. Antes de adotarmos o "boi, boi, boi" como canção de ninar, a canção que cantávamos (em inglês) dizia algo como:
Boa noite, linda menina, durma bem.
Sonhos doces venham para você,
Sonhos doces por toda noite"... (Que lindo, né mesmo!?)
Eis que um dia Mary Helen me pergunta o que as palavras em português da música "Boi da cara preta" queriam dizer em inglês:
"Boi, boi, boi,
Boi da cara preta,
Pega essa menina
Que tem medo de careta..." (???)
Como eu ia explicar para ela e dizer que, na verdade, a música "boi da cara preta" era uma ameaça, era algo como "dorme logo, caralho, senão o boi vem te comer"? Como explicar que eu estava tentando fazer com que ela dormisse com uma música que incita um bovino de cor negra a pegar uma cândida menina? Claro que menti para ela, mas comecei a pensar em outras canções infantis, pois não me sentiria bem ameaçando aquela menina com um temível boi toda noite...
Que tal:
"Nana neném que a cuca vai pegar..."?
Caramba... outra ameaça! Agora com um ser ainda mais maligno que um boi preto! Depois de uma frustrante busca por uma canção infantil do folclore brasileiro que fosse positiva e de uma longa reflexão, eu acho que descobri toda a origem dos problemas do Brasil. Trauma de infância! Trauma causado pelas canções da infância. Vou explicar: Nós somos ameaçados, amedrontados e encaramos tragédias desde o berço! Por isso levamos tanta porrada da vida e ficamos quietos. Exemplificarei minha tese:
Atirei o pau no gato-to-to
Mas o gato-to-to
Não morreu-reu-reu
Dona Chica-ca-ca
Admirou-se-se
Do berrô, do berrô que o gato deu Miaaau!
Para começar, esse clássico do cancioneiro infantil é uma demonstração clara de falta de respeito aos animais (pobre gato) e crueldade. Por que atirar o pau no gato, essa criatura tão indefesa? E para acentuar a gravidade, ainda relata o sadismo dessa mulher sob a alcunha de "D. Chica". Uma vergonha!
Eu sou pobre, pobre, pobre,
De marré, marré, marré.
Eu sou pobre, pobre, pobre,
De marré de si.
Eu sou rica, rica, rica,
De marré, marré, marré.
Eu sou rica, rica, rica,
De marré de si.
Colocar a realidade tão vergonhosa da desigualdade social em versos tão doces!! É impossível não lembrar do seu amiguinho rico da infância com um carrinho cabuloso, de controle remoto, e você brincando com seu carrinho de madeira ou plástico... Fala sério!!!!
Vem cá, Bitu! vem cá, Bitu! Vem cá, meu bem, vem cá!
Não vou lá! Não vou lá, Não vou lá! Tenho medo de apanhar.
Quem é o adulto sádico que criou essa rima? No mínimo ele espancava o pobre Bitu...
Marcha soldado,
Cabeça de papel!
Quem não marchar direito,
Vai preso pro quartel.
De novo: ameaça. Ou obedece ou você vai se fu... Não é à toa que brasileiro admite tudo de cabeça baixa... E continua:
O quartel pegou fogo
A polícia deu sinal
Acode, acode, acode,
A bandeira nacional
Que patriotada é esta? Não se salvam pessoas?
A canoa virou,
Por deixar ela virar,
Foi por causa da (nome de pessoa)
Que não soube remar.
Ao invés de incentivar o trabalho de equipe e o apoio mútuo, as crianças brasileiras são ensinadas a apontar o dedo e condenar um semelhante. Bate nele, mãe!!
Samba-lelê tá doente,
Tá com a cabeça quebrada.
Samba-lelê precisava
É de umas boas palmadas.
A pessoa, conhecida como Samba-lelê, encontra-se com uma fratura de crânio, necessita de cuidados médicos mas, ao invés de compaixão e apoio, a música diz que ela precisa de um castigo! Acho que o Samba-lelê deve ser irmão do Bitú...
O anel que tu me deste
Era vidro e se quebrou.
O amor que tu me tinhas
Era pouco e se acabou...
Como crescer e acreditar no amor e no casamento depois de ouvir essa passagem anos a fio?
O cravo brigou com a rosa
Debaixo de uma sacada;
O cravo saiu ferido
E a rosa despedaçada.
O cravo ficou doente,
A rosa foi visitar;
O cravo teve um desmaio,
A rosa pôs-se a chorar.
Desgraça, desgraça, desgraça!!! E ainda incita a violência conjugal (releia a primeira estrofe).
Pombinha branca
O que está fazendo?
Lavando a louça
Para o casamento
A louça é muita
Eu sou vagarosa
Minha natureza
É de preguiçosa
Passou um homem
De terno branco
Chapéu de lado
Meu namorado
Mandei entrar,
Mandei sentar,
Cuspiu no chão,
Limpa aí seu porcalhão!
A Rainha do Lar, lerda e preguiçosa, pega o primeiro que aparece, traz para casa e se arrepende. Parece familiar, não? A barata diz que tem um anel de formatura É mentira da barata, ela tem é casca dura A barata diz que tem sete saias de filó É mentira da barata Ela tem é uma só Hahaha Hohoho Ela tem é uma só O personagem da canção é uma barata mentirosa contumaz. E isto é engraçado?!? Quer mais? então veja: Osquindô lêlê, Osquindô lêlê lálá... Eu vi uma barata Na careca do vovô Assim que ela me viu Bateu asas e voou A raiz dos problemas brasileiros está na formação moral construída a partir das letras das canções de ninar! Mensagem subliminar, incutida na mais tenra idade. Demorou, mas foi descoberto o problema do Brasil! Precisamos apenas trocar as canções de ninar, e as futuras gerações estarão salvas. O que vocês acham ? Concordam, discordam ou talvez sim, talvez não ? De minha parte, acredito que essas músicas tanto quanto as que escutamos nas rádios refletem a nossa cultura ou seja, são manifestações da nossa maneira de ser. Tá certo que não podemos comparar a cultura brasileira que está ainda engatinhando e procurando o seu caminho, com uma cultura chinesa ou mesmo de algum país europeu que têm muito mais tempo de janela - mas nada nada, são mais de 500 anos que estamos procurando uma identidade cultural... Bom, de qualquer maneira, fica aí pra gente pensar ...


Envie uma resposta
Índice de mensagens


 English Made in Brazil -- English, Portuguese, & contrastive linguistics
 Cantigas de ninar brasileiras  –  Naluh  07/OUT/2003, 3:03 PM
Re: Cantigas de ninar brasileiras  –  André Oliveira  07/OUT/2003, 3:53 PM
Re: Cantigas de ninar brasileiras  –  Susy - Curitiba  16/FEV/2005, 11:28 AM
Re: Cantigas de ninar brasileiras  –  eu  23/ABR/2009, 9:03 PM
Cantigas de ninar brasileiras  –  eu  02/FEV/2008, 1:58 PM
Cantigas de ninar brasileiras  –  Dani  26/JUL/2008, 1:48 AM
Cantigas de ninar brasileiras  –  Cure  13/NOV/2008, 1:19 AM

Contents of this forum are copy-free.
By S&K