Fórum EMB de Discussões
[  EMB's Main Menu  |  Forum Index  |  Cadastro  |  Search  ]
   
ENGLISH
PORTUGUESE
 LINGUISTICS & CULTURE


Autor:  Fábio Braga de Alencar
E-mail:  howtospeak.english@yahoo.com.br
Data:  24/NOV/2007 5:51 PM
Assunto:  Regras de pronúncia do inglês
 
Mensagem: 

E-mail do autor para solicitar grátis 50% do GUIA DA PRONÚNCIA INGLESA - O ÚNICO - A REGRA UNIVERSAL PARA A PRONÚNCIA DA LÍNGUA INGLESA

fabiobragadealencar@yahoo.com.br

Guia da
Pronúncia
Inglesa

O Único

“Um dia desses, quem sabe, daqui a um punhado de décadas, um aluno principiante no Inglês indague ao seu professor quem foi o britânico ou o norteamericano que criou as regrinhas para a facilitação da pronúncia inglesa... Esse professor, de sanidade em dia, lhe responderá: ‘Em primeiro lugar não foi um britânico nem um norteamericano que descobriu as regras para a pronúncia inglesa, foi um brasileiro. Em segundo lugar, não são regrinhas, como você sugeriu anteriormente, são simplesmente as REGRAS DEFINITIVAS PARA TODA A PRONÚNCIA INGLESA UNIVERSAL. Inclusive Nos Estados Unidos, na Austrália, no Reino Unido e em toda a parte o manual é o mesmo; pois não há e nem haverá nunca dois ou mais padrões para as normas à fonologia da língua inglesa”

O maior
prêmio oferecido a um trabalhador é o mero reconhecimento do incomparável valor da sua obra

PALAVRA DO AUTOR

Em face da precária qualidade no ensino de uma forma geral, em que o dispositivo da memorização e a sua aplicação didática é relegada a um plano onde o novo assusta, coerente com as expectativas dos docentes e discentes, resolvi ejetar-me no sentido de percorrer distâncias entre a pronúncia de um e de outro e estreitá-las revolucionariamente objetivando o bem-estar daqueles que sofrem para conversar, ministrar aulas e palestrar em inglês.

No nascer das pesquisas, nem eu próprio acreditava que um dia não precisaríamos, por um segundo sequer, ter de re-correr ao velho dicionário no fim de captar os sons nele em-butidos, através de seus vocábulos. Para a nossa sorte, o que parecia uma pesada nuvem era só uma leve neblina.

Por intermédio do Guia da Pronúncia Inglesa – O Único podemos em pouco espaço de tempo decorar, de maneira justa e correta, as regras e exceções concernentes à fonologia da Língua Global, com ênfase para a fala norteamericana.

É de suma importância que tomemos ao pé da letra o cor-respondente a tudo que tenha sido colocado neste manual, pois qualquer deslize compro-metedor, a teimosia em insistir pelo caminho errado fará com que se abisme, continuando a render algo como um inglesinho de marinheiro de primeira viagem.

Sem mais palavras, o pro-cesso é infalível. Dependendo apenas do seu cotidiano esforço em assimilar aquilo que fal-tava para complementar os seus estudos rumo ao domínio total deste imprescindível rico idioma.

Como apenas os insipientes não crêem que nada acon-tece por acaso, o INGLÊS, destituído de xenofobia ou xe-nofilia, posso garantir ser uma língua escohida pelos deuses no propósito de nos unir a todos, sem distinção de raça, credo ou nacionalidade.

ALFABETO INGLÊS

A ei B bi C si D di E i F ef
G dji H eitch I ai J djei K kei L el M em N en O ou P pi
Q kiu R ar S es T ti U iu V vi W dabliu X eks Y uai Z zi

His x-rays are on the table

Vitamin c helps avoiding some diseases

H is the first letter for Harold

Mister M is a famous magician
A
DESCOBERTA DAS REGRAS

Ao longo de 20 anos de intensas pesquisas, pude verificar que a única condição de haver regra para a pronúncia inglesa seria partindo da consistente idéia de se reunir letras que coincidiam os sons quando em grupos ou em ambientes ortográficos. Era uma dádiva termos as letras em certas situações se apresentando sempre com a mesma fonologia. O mais surpreendente, para mim, foi a não esquematização das normas de pronúncia efetuada pelos próprios nativos de língua inglesa. Logo as honrarias e o mérito nos couberam com muito orgulho. De agora em diante não convém a ninguém indagar a outrem como se deva chamar tal palavra. As aulas de inglês instrumental deixarão de ser monótonas. Todos irão ler em voz alta o texto a ser interpretado nessas salas de aulas.

Quanto à diferença da pronúncia existente em um canto e outro do planeta, segundo os fonoaudiólogos, isso não passa de índices de audibilidade – varia de pessoa para pessoa. Uma criança entende melhor outra criança, um adulto se esclarece mais a contento no diálogo com outro adulto. Um elemento culto prefere escutar um similar seu. Logicamente, se pegarmos a pronúncia inglesa americana e a tivermos como padrão lingüístico, da maneira como o paulista reage ao sotaque carioca, e vice-versa, esse será o comportamento cotidiano de alguém que optou pelo modelo americano ou britânico. O que não aconselhamos fazer é ficar misturando as pronúncias. Ou uma coisa ou outra. Ou inglês americano ou britânico. O meio termo, para esse caso, é incabível.

Espero que o leitor obtenha ótimos resultados no contexto da pronúncia inglesa já a partir da memorização das regras mais insipientes. E em tempo venho avisar àqueles que qui-serem de livre e espontânea vontade voltar ao modelo antigo de tentar colocar na cabeça o som do dicionário todo para esse não cometer a atrocidade contra a sua própria mente. Ela não consegue. O máximo que se atinge indo por esse caminho é mais ou menos 70% de um léxico de grande porte, se morar nos EUA. Caso more no Brasil esse não ultrapassará a marca dos 25%, infelizmente.

A Regra Universal Para
A Pronúncia Inglesa Americana Através Da Coincidência Dos Sons Das Letras Ortograficamente Similares

Antes de qualquer coisa, gostaria de explicar um detalhe de bastante relevância: O leitor amigo não deve deixar passar em branco o fato de nesse livro eu ter excluído a simbologia fonética. Ocorre que, se eu puser a fonética representando o som da letra em estudo, a compreensão das normas poderá ser dificultada em função de muita gente não saber decifrá-la. Assim, com o emprego da fonêmica nossa, brasileira de cada dia, em instantes a equivalência fonológica permitirá uma assimilação premente dos sons das letras, haja vista os inúmeros exemplos dados ao leitor para compará-los.

Aproveite bem essa parte da obra, pois é de singular importância se tomar conhecimento da origem da pesquisa levando em conta as coincidências entre letras em grupos e em sistemas (ambientes ).

Exemplos

O que essas palavras têm em comum?

IMAGE e ADVANTAGE coincidem no grupo AGE (2 ou mais sílabas), concluindo o som da palavra com som átono de îdj

VIOLENCE e PIONEER coincidem no sistema que envolve a vogal I com uma outra vogal seguinte para a vogal I se sair com o forte som de ái

XEROX e XENOPHOBIA coincidem claramente no aspecto som da consoante X pronunciada z no início da palavra.

REALITY e BIOLOGY coincidem em duas regras: uma a que terminando em Y palavras de três ou mais sílabas tendem a ser proparoxítonas. Logo o som mais forte virá nas vogais A de som é e O de som aa. A segunda regra observem que é o aumento do som dessas duas vogais segundas dos ditongos dessas palavras, em face do sistema onde estão localizadas.

AEDIS AEGYPTIS e CAESAR coincidem ambas no grupo AE
de som i.

GYMNASIUM e REGION coincidem obviamente no grupo GI (GY), tendo aí a consoante G o som de dj.

ANALOGOUS e CARNIVOROUS coincidem simplesmente no fator sistema, cuja terminação ortográfica vem com consoante e OUS encerrando a palavra para a mesma ser proparoxítona. OUS terá o som ûs. E a vogal tônica aquela que estiver na terceira sílaba de trás para frente. Vale a pena avisar que em HOMOGENEOUS e SPONTANEOUS, e quando vogal anteceder OUS, a palavra vira paroxítona, e as vogais, no caso, vão obedecer o critério do sistema que uma consoante cortando uma vogal de duas ou três, E soa í longo e A ei bem forte.

MEDIA e PREMIUM coincidem na configuração sistemática. Ou seja, ambas as palavras trazem uma consoante separando uma vogal de duas ou mais, para especificamente a vogal E ser pronunciada í. É aí onde vai haver a sílaba mais forte.

ANNUITY e CONTINUITY coincidem no grupo UITY no final da palavra. UITY de som íuti (íuri) vai epicentrizar fonemicamente os vocábulos. É onde você deve notar que os valores fonêmicos das demais sílabas, por força de regra, acabam ficando com um som exíguo em comparação com a do grupo em questão.

ASK e BLAST coincidem as duas palavras no sistema, o qual a vogal A antecede a consoante S casada com outra consoante para a vogal A puxar um som ae, nem á, nem é. Novidade para os brasileiros. Uma vez que no português não existe nada equivalente. Mas com um tanto de exercício, qualquer um tirará de letra os novos fonemas a encarar.

A Língua Global é o inglês.
A tentativa de nos desviar disso redundará em comprometimento do nosso futuro. Daqui a alguns anos a abertura dos e-mails nos surpreenderá em demasia, pois, em vez de letras escritas, nos depararemos com vozes vindas do mundo inteiro, despejando mensagens na maioria em inglês. Se for o caso de uma proposta de emprego fora do país, quem não souber pronunciar a maior parte do dicionário com uma certa exatidão a vaga fica, quem sabe, para um aluno ou leitor nosso que largou na pole position de memorizar tão somente os sons das letras, conforme o estabelecido aqui no GUIA DA PRONÚNCIA INGLESA – O ÚNICO, modestamente de minha autoria.

FÁBIO BRAGA DE ALENCAR

 


Envie uma resposta
Índice de mensagens


 English Made in Brazil -- English, Portuguese, & contrastive linguistics
 Regras de pronúncia do inglês  –  Fábio Braga de Alencar  24/NOV/2007, 5:51 PM
Regras de pronúncia do inglês  –  Joel  07/JUN/2010, 12:38 PM

Contents of this forum are copy-free.
By S&K